quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Viagem ao Centro do Eu

Sessão Terapêutica Holística 


Viagem ao Centro do Eu é a proposta de uma viagem de descoberta, cura e harmonização pessoal.


Viagem ao Centro do Eu
É uma proposta para vires ao encontro de ti. Traz os teus objectivos e em conjunto definimos metas e estratégias. Depois deixamos as coisas irem acontecendo.

As sessões podem envolver conversas longas, meditação, trabalho energético, massagem, viagem guiada às tuas emoções, às dores que surgirem para que as possas entender, libertar e curar.

Podem incluir visitas meditativas à tua história, aos teus relacionamentos; podem suscitar, partos, renascimentos, reparentalização. Podem ficar apenas e só pela conversa afectiva colorida com abraços; por dois olhos para te receberem, dois ouvidos para te ouvirem e um peito imenso para te abrigares.

Posso ajudar-te a entender o subtil, o que não entendes, o que não vês mas sentes, o que vês mas não sabes o que é, o que pressentes e te assusta, o que cada vez mais te surge.

Posso ensinar-te a cuidares do teu corpo físico e energético, dos teus espaços.

Posso ajudar-te a ires à procura da tua missão de vida.

Esta Viagem pode ser quase o que tu quiseres desde que seja bom e seja para ti. Porque já tens em ti todas as coisas e eu tenho em mim formas de te ajudar a conectares-te com elas.

ONDE
Carcavelos, espaço Sati

POR QUEM

QUANTO TEMPO DURA CADA SESSÃO
Tira uma manhã, uma tarde, ou uma noite só para ti. Tu mereces. Eu estarei contigo de 2 a 3 horas. E depois disso acompanhar-te-ei por escrito no que precisares.

QUANTAS SESSÕES
Nada se cura de repente. Uma sessão pode dar-te um imenso impulso de vida, mas é preciso mais para uma recuperação sólida e efectiva.

Uma sessão é excelente, ao fim de 3 ou 4 sessões já tens resultados notórios… O resto depende… Mas mudanças de vida acontecem a quem se empenha, confia e tem coragem de mergulhar em si.

Sugiro-te pacotes de 3 ou 5 sessões para poderes abrir-te a uma nova perspectiva e sentires os efeitos acumulados.

REGULARIDADE DAS SESSÕES
Consoante os casos proporei sessões semanais ou quinzenais.

QUANTO CUSTA
A contribuição que sugiro nesta fase de lançamento é:

Uma Sessão – 80€
Pacote de 3 sessões – 210€
Pacote de 5 sessões – 300€
A partir da 6ª sessão 60€





Cada pessoa é um ser global que reúne corpo, mente, emoções, história, condições presentes e, segundo cada vez mais abordagens, energias subtis, como a aura e uma centelha divina a que são dados diferentes nomes.

A maior parte das pessoas está numa tão grande azáfama de “fazer” que só tem acesso àquilo que está totalmente à superfície: as dores fortes, as doenças, a raiva, a grande alegria, o prazer resultante da acção dos sentidos. Escapa-lhe quase tudo. Escapa-lhe o Ser.

Segundo teorias científicas temos acesso a cerca de 10% do que se passa connosco. Mas os outros 90% estão cá e actuam e são em grande medida responsáveis pelo que nos acontece. E nós não percebemos nada. Pensamos que são os outros que nos fazem mal, que não temos sorte, perguntamos “porquê isto comigo?”, revoltamo-nos e continuamos a fazer as coisas de sempre e a ter resultados cada vez piores.

Ao fazer meditação regularmente a pessoa relaxa, liberta tensões, tem acesso a mais informações sobre si e, muitas vezes sem se aperceber, começam a resolver-se problemas. O mesmo pode acontecer ao fazer yoga, massagem, hipnoterapia, passeios calmos na natureza.

A Massagem Intuitiva Holística é um instrumento físico e energético que leva ao relaxamento profundo, à libertação de traumas, à renutrição e harmonização a todos os níveis. Durante o processo a pessoa liberta muita energia tóxica, muitas tensões e por vezes tem memórias de traumas, o que traz oportunidades acrescidas de cura. Por vezes dá-se o reescrever de certos aspectos da sua história e quase sempre novas formas de encarar o presente.

É vulgar durante uma sessão que seria sobretudo de massagem a pessoa fazer uma viagem ao seu passado, através de conversa, e depois durante a massagem ter entendimentos ou, recorrendo a técnicas meditativas, eu levá-la à descoberta o que tem guardado, o que a magoa e a descobrir como libertar isso, como se curar, como se pacificar consigo ou com pessoas a quem está ligada.

É frequente pessoas que têm dificuldade em sentir, eu introduzir exercícios de Kundalini Yoga para activar essa capacidade, recorrer a técnicas de massagem e de activação da energia que as leva a ter um melhor entendimento sobre o corpo, a sua componente energética e a ampliar a capacidade de sentir a nível físico e a despertar a alegria interna.

Muitas pessoas sabem que são esponjas energéticas, mas não sabem como se limpar e proteger.

São imensos os casos em que é possível eu fazer muito mais do que só massagem – e faço. E cada vez mais assim é, pois está em curso uma energia de mudança e de aprofundamento do auto-conhecimento. É algo a que não se pode fugir. Ou se esconde com as drogas habituais, ou decidimos ir ao fundo das questões e temos a hipótese de nos descobrirmos, irmos curando dificuldades, encontrarmos sentido na vida, gostarmos de nós e sermos cada vez mais felizes e equilibrados.


Depoimento
Foram casos como o que apresento que me levaram a criar este conceito de Viagem ao Centro do Eu, pois quando falo em massagem ninguém faz ideia do que a Massagem Intuitiva Holística pode ir para lá do conceito comum de manipulação do corpo.

"Muito mais do que uma massagem, para mim foi uma experiência emocional profunda. A Sati decifra cada mensagem do corpo. Durante a massagem sempre que necessitava de algo, tal acontecia sem que eu pronunciasse qualquer palavra. Através de uma dor no peito, viajei até à minha infância e senti os medos da altura. A Sati deu-me colo e segurança. Senti -me muito bem. As perguntas colocadas fizeram todo o sentido e ajudaram na tomada de consciência de alguns medos."
Maria, 30 anos, terapeuta 

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Trabalhar para ser feliz


Noto uma onda de desesperança nas pessoas, sobreocupação, stress, fadiga, desânimo. Cada vez mais me chega gente de todas as idades, estratos e profissões em desequilíbrio devido à sobreocupação.

Os chefes máximos que são pressionados pelas instituições, os intermédios por estes e os chefiados pelos anteriores.

Pessoas com carreiras de prestígio de anos, que querem sair porque não suportam mais a falta de vida.

Aquilo que nos ocupa mais tempo, e logo que nos deveria dar mais prazer – afinal é isso que queremos, não é? – a trazer sofrimento e a impedir-nos de usufruir de uma vida plena com nós mesmos, a família e os amigos.

Muitas pessoas não têm tempo para cuidar de si: não fazem desporto, não passeiam, não namoram! (E quem não quer?)

Casais tornam-se estranhos um do outro. E os filhos?

E tudo isto gera uma bola crescente, que só um travão pessoal pode alterar.



A sobreocupação e a falta de cuidados pessoais gera cansaço físico e emocional, que diminui a capacidade de trabalhar bem e traz doenças. As empresas perdem: ao ocupar excessivamente as pessoas a produtividade só pode decrescer. Quem ganha com isso? Sim, alguém ganha, eu sei! Tal como alguém ganha com as guerras e por isso elas continuam.

É convicção minha que alterar essa situação começa no próprio. O próprio decidir que basta, que necessita de espaço para si e para a família. Que quer trabalhar para se sustentar mas também para viver, para se realizar como pessoa nas suas diferentes variantes.

A pessoa comunicar isto a si própria, falar com as chefias e começar a fazer coisas nesse sentido. Ao trocar uma hora de trabalho, por exemplo, por cuidados pessoais, vai ganhar tranquilidade, energia, saúde, vida, produtividade. Vai beneficiar a empresa e todos à sua volta.



Trocar uma hora por dia (ou duas ou três por semana) por CUIDADOS PESSOAIS. Significa isso coisas como ir ao ginásio, correr na praia, passear num jardim, fazer yoga, meditação, massagem, dançar, estar com amigos.

Estar agarrado ao telemóvel ou ao PC não é cuidado pessoal. Estar no Facebook, no Tinder ou a fazer algo do género é o mesmo que estar a trabalhar, é manter ocupada a já sobreocupada cabeça, dando-lhe mais desgaste.

Não têm problema nenhum o Facebook, o Tinder e afins, excepto quando servem para as pessoas se manterem ocupadas, em vez de usufruírem de momentos de descanso mental, obrigatórios para a saúde física e emocional, para a capacidade de concentração e memória.





Não acredita nestas soluções que proponho? Também não é para acreditar, é para fazer a experiência pois é dessa forma que se aprende. Venha fazer uma massagem por exemplo, se o que eu disse se comprovar mentira não paga 😍

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Depoimento: Massagem “o grande desbloqueador”

Tem uns 40 anos, é bonita, elegante, moderna. Chegou chorosa e com muitas dores no corpo todo e em especial num dos braços.

Em criança foi tocada indevidamente por uma pessoa da família. Quando souberam disso, os outros familiares comportaram-se ignorando a situação. Postura comum, pois é tão doloroso para a família, que esta prefere enterrar a cabeça na areia do que aceitar e encarar o problema. Mas como fica a criança? Como cresce a jovem, a mulher?




É uma ferida profunda que fica e que vai afectar todas as áreas da vida: o amor-próprio, a saúde e os relacionamentos talvez sejam os mais atingidos.

Agora, as lembranças tinham voltado recorrentemente, reacendendo as dores.

Recebi-a com amor, expliquei-lhe a postura dos pais, o como é natural e normal tudo aquilo que ela sente, e falei-lhe do agressor… dos agressores, da ferida enorme que deve ir dentro dessas pessoas, e de como, de qualquer forma, o ressentimento a continuava a prender e a ferir a ela em primeiro lugar a ela própria. 







Cuidei-a com imenso o carinho e amor, respeitando a sensibilidade extrema do corpo. Não acredito que numa massagem provocar dores ajude a desbloquear outras dores, por isso uso sempre métodos que as evitam e actuam em profundidade e de forma holística, pois é preciso tocar o problema original para curar de facto.



Renasceu com um enorme sorriso e plena de bem-estar.

Ontem, um mês e meio depois, enviou-me este email.

Estive a fazer a massagem contigo dia 14 de Agosto (doía-me o braço direito e tinha um dedo inchado). No dia seguinte li este texto da Noordev Kaur:

Nós nascemos para estes tempos de transição. Viemos para criar. Estamos aqui para fazer a diferença. Tu, eu, somos agentes da mudança.
Tudo o que está a acontecer neste momento nas nossas vidas capacita-nos para libertar o passado. Curar o nosso coração.
Se tens problemas com pessoas da tua família, sejam os teus pais ou quem for, sabe que eles estão geralmente ligados ao nosso ‘Karma’ e só quando compreendemos a sua função é que ficamos em condições de lhes agradecer tudo o que nos fizeram. Essencialmente, o que nos fizeram passar. É nessa ocasião que a nossa relação com eles se transforma em ´Dharma’, pois a nossa alma ganhou consciência.
A viajem ao nosso interior é a maior aventura que podemos empreender durante a Vida. Precisas ter muita maturidade, determinação e coragem para a iniciar, pois, de antemão, sabes (a tua alma) as dificuldades por que terás de passar. Vais ter de destapar o que varreste para debaixo do tapete durante anos, décadas ou até encarnações. Se já a iniciaste é porque a tua alma se sente capaz de fazer o caminho!

Assim que li o texto tive um grande ataque de choro e senti imensa compaixão pelo homem que me tocou indevidamente, senti compaixão pelos meus pais e por mim.
A dor no braço passou e sinto que apaziguei este assunto.


Gostava que soubesses que me sinto Muito Grata e que tenho a certeza que a massagem foi o grande "desbloqueador".





As dores, os acidentes, as doenças, os cansaços, o que for, são sempre muito mais do que o sintoma. Tratar só o sintoma, seja através de que método for, não traz cura, pode até, pelo contrário, agravar o problema. E têm sido muitos os casos que me têm surgido de pessoas cujos problemas de saúde física e emocional foram agravados pelos tratamentos sintomáticos.

Hoje encontrei-a sorridente, sem lágrimas, a dar passos imensos para abraçar uma vida bem mais alegre e plena.

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

O preço da não aceitação do eu

Pessoas há que têm problemas recorrentes de saúde. Algumas desde tenra idade, outras a partir de certa altura… ou de certo acontecimento no tempo. Outros têm dores regulares ou algum tipo de mal-estar, mas os médicos não encontram causas.

A dor, mal-estar, pequena ou grande constipação, alergia, é sempre sinal de algo mais profundo, que pode ser simples como falta de descanso ou má alimentação, mas que pode ser bem menos visível.

Há milénios que vivemos em sociedades que nos obrigam a ser estereótipos. As mulheres lindas e prendadas, boas mães; os homens fortes, destemidos, bons geradores de dinheiros e experts na cama.



No entanto, não há duas pessoas iguais, nem nunca houve. Não há duas impressões digitais iguais. Ou seja, nós humanos nascemos para ser diferentes, como aliás tudo na natureza: um rio é um rio, mas são sempre diferentes. O mesmo com pores-do-sol, gatos, ciclones.

Esta obrigatoriedade, imposta à força do músculo ou da censura social, tem repercussões na saúde física e emocional. Quem não tem o trauma de alguma coisa pequenina ou grande que o pai ou a mãe disseram? Quem não tem medo de não estar à altura? De não ser suficientemente bom nisto ou naquilo ou em tudo?

Grande parte das dores que temos, doenças, quistos, furúnculos, tumores e mesmo acidentes é desta proibição de sermos quem somos, desta não aceitação da nossa própria verdade, da verdade dos outros e da vida em geral.



São sobretudo os traumas e frustrações que geram as doenças físicas e emocionais. E é por isso que muitas vezes os médicos não encontram razão, pois a medicina normalmente só procura as causas físicas, ignora ou ri-se até das outras. Mas mesmo quando encontram razões físicas, ignorando o que lhe deu origem, podem resolver esse sintoma mas não o problema, e ele volta e volta e volta.

Quem se quer curar ou melhorar consideravelmente precisa de ir em busca das causas. Na maior parte dos casos, muito antes de qualquer comprimido ou corte, devemos tentar entender o que se está a passar, porque é que isto nos está a acontecer.

Daqui solto um grito contínuo: antes da mutilação, por ti, procura alternativas.


      

Hoje há também uma enorme energia de mudança em marcha. As pessoas começam a ter acesso a formas de percepção não habituais. Como não as conhecem, têm medo, vão aos médicos e arriscam-se a ser medicados para deixar de sentir.

E eu daqui solto um outro grito contínuo: antes de permitires que matem a tua sensibilidade, por ti, procura saber mais.

domingo, 6 de agosto de 2017

Auto-descoberta: vivemos tempos de resgate pessoal

As pessoas estão a mudar, já não cabem nas formas a que foram confinadas, começam a ter novos interesses, a ver, sentir e escutar um mundo que até há pouco não estava acessível. Se este é o seu caso leia o artigo, talvez lhe traga alguma luz.

Contaram-nos que éramos uma coisa e agora estamos a descobrir que somos outra. Andamos perplexos. Temos medo. Fugimos. Mas como podemos fugir de nós próprios? Não é possível! Ou fazemos o que nos fizeram - aprisionamo-nos em alguma coisa - ou enfrentamos o medo e vamos à nossa descoberta.
  
Disseram-nos que o mundo era um lugar perigoso, que tínhamos que ter muito cuidado, não rir à boca cheia, não chorar, não ter raiva nem sonhos. Que só o que se vê existe e que a ciência e a religião é que sabem.

Disseram-nos que Deus é uma realidade e que castiga os que se portam mal. Que temos que ter um curso superior, um emprego, uma casa bonita, uma família. Que as mulheres gostam de homens e os homens de mulheres. Que o sexo é para se ter em relacionamentos, não precisa de ser aprendido e que existe infidelidade.

Obrigaram-nos a ser isso tudo e a partir de certa altura passámos a ser nós próprios a obrigar-nos. Só que com o avançar dos tempos e esta urgência imensa em viver, começaram a aparecer rabos por todos os lados.

A família tradicional tem vindo a ruir. Os cursos superiores deixaram de dar garantias. Os empregos tornaram-se lugares de escravatura. O sexo começou a existir e afinal não é o que se pensava. Homens gostam de homens, mulheres de mulheres e alguns até de pessoas indiferenciadamente.

-------

E como se tudo isto não bastasse comecei a ouvir, ver, sentir, cheirar coisas. Não há ninguém em casa mas parece que há. Se digo isto à mãe diz que estou maluca, se digo ao pai quer levar-me ao psiquiatra. Mas a Maria percebe-me. Ela diz que também vê coisas. E o António, diz que não vê nada mas sente que existem. E o João diz que pressente o que vai acontecer. 
Tenho medo, não quero sentir isto, mas não consigo evitar. Às vezes parece que sinto as dores dos outros. Outras parece que fico com o mal deles e eles ficam bem.
 De repente comecei a interessar-me por coisas que nunca me tinham chamado à atenção: Meditação, Astrologia, Reiki, Tantra. Não posso falar disto com ninguém.
--------

Os tempos estão a mudar. Começamos a ter acesso a partes de nós próprios até aqui escondidas. Diz a ciência que apenas temos consciência de uma parte ínfima de nós - estudos falam em 10% outros em 25% - que o resto está a nível do inconsciente.

Através de métodos que induzem relaxamento profundo, como meditação, massagem, hipnoterapia, yoga podemos aceder a mais informações e a ampliar as capacidades cognitivas.

Mas hoje há uma clara energia de mudança.

O planeta vai ruindo. Pequenas e grandes guerras acontecem. As pessoas estão cansadas, há uma carga imensa de doenças físicas e emocionais.  Há quem viva exclusivamente movido a químicos, mas há também quem cada vez mais sinta necessidade de novas abordagens.

Os homens, outrora tão pragmáticos, os tais que não choravam, começam agora a entrar no reino das emoções. As mulheres cada vez mais percebem a sua capacidade intuitiva, a mediunidade. A espiritualidade está presente em áreas nunca sonhadas, como no campo do futebol, nomeadamente através de um dos seus expoentes máximos em Portugal.

Há uma realidade de sempre a vir ao de cima. Não é o fim do mundo, é talvez a redescoberta de uma grandiosidade que temos e que fomos perdendo à medida que nos fomos desconectando de nós próprios.

Ninguém ainda hoje consegue explicar como foram construídas as pirâmides no Egipto há 4000 anos, eu acho que foram porque temos uma imensa capacidade que fomos perdendo à medida que a liberdade humana foi sendo subjugada pela força.

Hoje creio que estamos a ser re-chamados a nós próprios.



Toda a gente precisa de ajuda neste processo. Eu preciso, tenho e curiosamente nos últimos tempos tenho sido procurada por cada vez mais pessoas que percebem que estão neste caminho. 

E podem continuar a vir. Venham! A Massagem IntuitivaHolística é indubitavelmente um método de auto-descoberta e de transformação pessoal. É-o para quem recebe e simultaneamente para quem dá.


Somos mesmo grandes. Ousemos sê-lo. Com ou sem medo. Não há fuga possível a nós próprios.

--------

Sati
Mulher, cuidadora, formadora, facilitadora de processos pessoais, estudiosa de mim-própria, dos outros e da vida, todos os dias criativa e criadora.

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Para que serve a dor?

João ligou-me a semana passada, precisava de uma massagem urgente. Entre afazeres de um e de outro, só conseguimos conciliar agendas hoje, uma semana depois.

Na semana passada doíam-lhe as costas de alto a baixo, os ombros e as pernas estavam rígidas. Tinha acabado de decidir a separação e era necessário continuar a vida, procurar nova casa, recomeçar sozinho.

Uma semana depois estava já separado, instalado e as dores tinham passado dando lugar àquele vazio próprio de quando se vai um amor.

Não foi ao médico, não tomou medicamentos e as dores passaram.

A maior parte das dores passa sozinha. São sintomas de dificuldades emocionais, conscientes ou não, e vivendo nós através do corpo, elas manifestam-se nele para que a dificuldade se possa libertar.

O que é que se pode fazer para lidar com a dor? Muita coisa. Acolhê-la e deixá-la manifestar-se, tentando perceber o que poderá querer dizer. Meditar, fazer yoga, dar um passeio ao ar livre para o corpo relaxar e ajudar a dor – e com ela o stress – a libertarem-se mais facilmente. Receber uma massagem que vai relaxar e ajudar a aliviar esse ponto de tensão, libertando-o e ajudando a libertar a própria causa. Pode também, em muitos casos, ser necessária ajuda cognitiva: psicoterapia, rebirthing, coaching, etc. 



Qual é, no entanto, a atitude mais comum das pessoas? Procurar ajuda médica ou apenas medicamentosa, e dessa forma aliviar a dor. Ela é atenuada mas o problema mantém-se, por isso volta mal passa o efeito do comprimido.

Por causa desses medicamentos surgem outros problemas – a tensão alta, a dor de estômago, o colesterol, etc., etc., e mais comprimidos. Enquanto o problema que dá origem às dores não for encarado e resolvido, ou pelo menos aceite, elas voltam, cada vez mais fortes.

Pergunto: a quem é que este sistema serve? 

Sim, por vezes é necessário tomar medicamentos, por vezes é necessário fazer cirurgias, tudo tem o seu lugar, mas primeiro, na minha óptica e na óptica dos médicos holísticos que conheço, convém dar voz à pessoa, ao corpo, às emoções e apoiá-las.


---

Uma pequena história minha

Há uns quinze anos atrás fiquei com o joelho esquerdo dobrado sem conseguir esticar a perna. Fiz todos os exames que havia e não tinha qualquer problema físico. Na altura vivia com um alcoólico e o ambiente familiar era muito complicado. Um dia que o acompanhei à Psiquiatra ela disse-me:  “Atenção que problemas emocionais provocam problemas de saúde reais.” Um mês depois separámo-nos e no dia seguinte o joelho ficou bom.

Aquele joelho estava a dizer-me que a minha vida com aquele homem não avançava, eu é que ainda não o sabia ler.

Hoje recebo as dores como mensageiras, não tento livrar-me delas, escolho cuidar-me. Por vezes ficam alguns dias, outras são bem rápidas a ir embora;, quando persistem, ou criam sintomas mais complicados, procuro diagnóstico médico e sempre que possível trato-me de formas naturais: apoiando o corpo, a alimentação, a mente, as emoções. 

Há pouco tempo, no entanto, tive mesmo que ser submetida a uma pequena cirurgia. Terá o bloqueio que estava fechado no meu corpo ido com ela, ou permanecerá? Não sei. Mas vou ficar atenta e continuar a fazer o imprescindível trabalho de consciência de como estou, abrindo-me ao que sou em cada momento, acolhendo e procurando lidar de formas sábias com isso.


Adenda!!!!! 

Acabava eu de publicar este artigo e dei de caras com esta notícia no Público:

Quanto mais grave a doença maior a necessidade de o doente ser ouvido, o que raramente acontece

quarta-feira, 21 de junho de 2017

II Curso de Massagem Intuitiva Holística chegou ao fim - Veja alguns Depoimentos

Último dia do II Curso de Massagem Intuitiva Holística. Em retiro, num local belíssimo, como esta massagem pede.


Foram 12 os finalistas do II Curso de Massagem Intuitiva Holística. Doze homens e mulheres cheios de vontade de apoiar os outros através do corpo. 

Foi uma aprendizagem da hipótese de um novo caminho de vida, de uma abordagem que respeita integralmente o ser humano, mas também de crescimento, auto-conhecimento e transformação.

A Massagem Inuitiva Holística e o curso oferecem a todos a hipótese de crescimento pessoal, profissional e de toda a vida, mas, como em tudo, só alguns o agarram, e esses, sem dúvida, ficam capazes de voar muito alto e de ajudar outros a voarem e a serem mais completos, equilibrados e felizes.


Alguns depoimentos no final deste segundo curso

Sandra Costa, "Sou uma nova mulher"
Quando comecei este curso em Setembro sentia-me uma menina com vontade de aprender, mas com muitos medos e receios. Ele ajudou-me a tomar consciência e a conhecer melhor os meus medos e bloqueios mais profundos. Fez-me sentir as minhas dores. Dores que estavam no íntimo do meu Ser. Dores que eu própria nem conhecia.

Sei que só enfrentando os medos e desconfortos é que os conseguimos ultrapassar e tenho a certeza que neste curso me tornei mais forte.

Estou em aprendizagem, em evolução e transformação. Sinto que este curso me fez crescer como Ser Humano, como Mulher e como Terapeuta.

Olhando para trás sinto-me orgulhosa pelo trajecto que fiz, pela evolução e transformação no meu Ser mais profundo. Abri os horizontes e hoje sei melhor o que quero para a minha vida e principalmente sei o que não quero.

Não, já não sou a mesma, sou uma nova Mulher e a ti o devo querida Sati, a ti e a cada um dos meus colegas (à nossa Tribo). Grata! Grata! Grata!

Célia Veiga, "Uma escola de vida"
Este curso foi muito mais do que aprender a dar uma massagem: foi uma escola de vida, uma viagem para dentro de mim, rumo ao meu EU. 
Desde o dia em que colocaste as tuas mãos em mim iniciei uma viagem maravilhosa. Aprendi a Aceitar-me e a Respeitar-me. Aprendi que sou um ser perfeitamente imperfeito que pode ajudar outros seres com estas mãos, com amor e respeito. 
Foram meses incríveis. Sati tu és muito mais que uma formadora, és uma Mestre, professora, cuidadora, minha mãe de amor - Um Ser de Luz e Amor. Estou-te muito Grata!!

Paulo Correia, "Aprendi a SENTIR!"
Vim para aprender a tocar... e aprendi a SENTIR!

E ao Sentir, aprendi a ESCUTAR!
E ao Escutar, aprendi a CURAR com AMOR!
Sem dúvida que aprendi técnicas de massagem e sem dúvida que aprendi QUANDO esquecê-las. Para o tradicional pragmatismo masculino, o uso da INTUIÇÃO será sempre desafiante, mas o resultado é, a todos os níveis, enriquecedor.

Sinto que cresci como pessoa e estou grato por isso.

Sónia Grilo, "A aprendizagem da minha vida"
Sou um Ser e além de Ser sou Humana. Uma dualidade impossível de separar enquanto as células respirarem e se recriarem.
Redescobri isso no decorrer deste caminho de Amor que me abriste, querida Sati. Foi um desnudar e um revestir tão natural, tão livre, tão límpido, que ainda me provoca pele de galinha sempre que sinto o toque em tríade ( mente, corpo e alma).
Abriste a porta que me levou de novo a mim, ao enfrentar os meus medos, ao aceitar as minhas emoções, ao descobrir que tenho um corpo para cuidar e mimar. Juntar tudo isso fez-me crescer e transformar num Ser melhor, sentindo e compreendendo cada vez mais as necessidades do outro que se cruza comigo. 
Esta foi a aprendizagem da minha vida. Aquela que inconscientemente eu já tinha pedido há muito tempo e fazendo-me acreditar que tudo chega na hora em que estamos preparados, aqui estou eu eternamente grata a ti e ao Universo por esta viagem fenomenal.

Aniversariantes têm presente

De vez em quando alguém se oferece de presente de aniversário uma massagem minha. Toda a gente que já experimentou sabe como gosto do que faço... Mas tenho que confessar que proporcionar o presente de aniversário é muito especial.

Então decidi que de agora em diante quem se oferecer a si próprio, pelo seu aniversário, uma Massagem Intuitiva Holística, ganha um presente: tem desconto de 20%!!!!! 

Em vez de pagar um valor à sua escolha entre 45€ e 85€, a contribuição é a que quiser entre 35€ e 65€, para uma viagem ao interior de si mesm@, com incursões por sítios como as nuvens e o paraíso, durante 90 a 120 minutos.

Ofereça-se este presente. Você merece!

Entretanto, se quiser oferecer uma massagem de presente a alguém, o Voucher custa só 45€. Aproveite, e ofereça uma prenda que faz exclusivamente bem!

sexta-feira, 9 de junho de 2017

O III Curso de Massagem Intuitiva Holística começa em Setembro

Começa em Setembro o III Curso de Massagem Intuitiva Holística. Esta edição beneficia da aprendizagem com as anteriores e responde de forma mais eficaz tanto a quem quer seguir um caminho profissional, como a quem só quer ter boas bases de massagem ou complementar os seus conhecimentos. Pode ainda ser usada para beneficiar o trabalho de cuidadores, nomeadamente profissionais de saúde, massagistas, educadores e psicólogos.



III Curso de Massagem Intuitiva Holística


O Curso de MIH foi criado em 2015 com o objectivo de levar esta abordagem a mais pessoas para que a usassem na sua vida pessoal ou profissional. A primeira edição teve 9 módulos de um fim-de-semana cada e um total de 117 horas de formação. Na segunda edição foi acrescentado um fim-de-semana opcional.

Esta 3ª edição visa aperfeiçoar as anteriores e responder de forma mais eficaz aos públicos que têm esgotado este curso: a) quem quer aprender massagem mas não tem interesses terapêuticos; b) quem quer aprender a cuidar em profundidade; c) quem quer aprender apenas algumas matérias.

Nesse sentido foram criados 3 níveis que cobrem todas as áreas de massagem e acrescentada a Iniciação em Massagem Intuitiva Holística, que se destina exclusivamente a quem tem verdadeira apetência e empenho nesta abordagem e pretende usá-la a nível pessoal e / ou profissional.

Cada pessoa pode optar por fazer todo o curso ou só alguns níveis e, caso haja vaga, pode também haver a opção por módulos isolados.

1º nível - Básico. Massagem com óleo 

Para quem quer aprender a dar óptimas massagens na sua vida pessoal ou mesmo na profissional. Duração 6 fins-de-semana, 84 horas de formação.


2º nível – Intermédio – Massagem sem óleo e trabalho energético 

Este segundo nível somado ao anterior permite apoiar de forma bastante eficaz todo o tipo de pessoas, pois há muitas situações em que não pode ser usado óleo e há pessoas que não podem receber qualquer pressão. Por outro lado, ensina a tratar também a nível energético, algo fundamental ao equilíbrio de cada ser. Destina-se a uso pessoal mas também dá bases sólidas para um excelente trabalho profissional. Duração 4 fins-de-semana, 56 horas.


3º nível – Avançado – Massagem Tântrica

A Massagem Tântrica facilita ir ao encontro das feridas mais profundas da humanidade e ajuda a curá-las; ajuda à expansão da consciência, ao aumento da sensibilidade e ao desenvolvimento do amor. Duração 2 fins-de-semana, 28 horas.


Iniciação em Massagem Intuitiva Holística

A soma dos três níveis permite a qualquer pessoa com talento e empenho fazer um excelente trabalho de massagem, físico e energético, cobrindo praticamente todas as áreas do corpo humano. Mas a Massagem Intuitiva Holística é muito mais do que massagem e trabalho energético. Ela apoia a pessoa na sua totalidade. É um conhecimento intuitivo, sem tempo, personalizado, que é selado através de Iniciação. Quem quiser apresentar-se como praticante de Massagem Intuitiva Holística deverá também fazer esta Iniciação. Ela tem a duração de 2 fins-de-semana o último dos quais em retiro. 28 horas.


Foto de Sati Rose.
Almoço de formação no espaço de Caxias

Condições


O Curso decorre em 4 fases, para fazer esta massagem é necessário frequentar os 14 fins-de-semana, num total de 196 horas de formação. Quem não tiver esse objectivo, pode optar por fazer só algum dos níveis ou mesmo módulos isolados.

Local
Uma das salas de Caxias

O local vai depender do número de inscritos. Decorrerá preferencialmente em instalações muito próximas de Lisboa, bem localizadas, nobres e com alguma natureza envolvente.

Os espaços preferenciais são em Caxias e no Taguspark, dois locais com óptimas condições, fáceis acessos e que já acolheram a 2ª parte do II Curso de MIH.

Inscrição

Todos os níveis têm uma taxa de inscrição de 50€ que aumenta para 100€ se forem efectuadas no mês em que o nível tem início. A inscrição até cerca de dois meses antes do início do nível beneficia da isenção desta taxa. Inscreva-se no 1º nível até ao final de Agosto e pague só 50€ de taxa.

Depoimentos 

Sónia Grilo

Sou um Ser e além de Ser sou Humana. Uma dualidade impossível de separar enquanto as células respirarem e se recriarem.

Redescobri isso no decorrer deste caminho de Amor que me abriste, querida Sati. Foi um desnudar e um revestir tão natural, tão livre, tão límpido, que ainda me provoca pele de galinha sempre que sinto o toque em tríade ( mente, corpo e alma).

Abriste a porta que me levou de novo a mim, ao enfrentar os meus medos, ao aceitar as minhas emoções, ao descobrir que tenho um corpo para cuidar e mimar. Juntar tudo isso fez-me crescer e transformar num Ser melhor, sentindo e compreendendo cada vez mais as necessidades do outro que se cruza comigo.

Esta foi a aprendizagem da minha vida. Aquela que inconscientemente eu já tinha pedido há muito tempo e fazendo-me acreditar que tudo chega na hora em que estamos preparados, aqui estou eu eternamente grata a ti e ao Universo por esta viagem fenomenal.


Paulo Correia

Vim para aprender a tocar... e aprendi a SENTIR!
E ao Sentir, aprendi a ESCUTAR!
E ao Escutar, aprendi a CURAR com AMOR!

Sem dúvida que aprendi técnicas de massagem e sem dúvida que aprendi QUANDO esquecê-las. Para o tradicional pragmatismo masculino, o uso da INTUIÇÃO será sempre desafiante, mas o resultado é, a todos os níveis, enriquecedor.

Sinto que cresci como pessoa e estou grato por isso.


Ana Cristina Pinto

Adorei o curso. Para além de toda a aprendizagem no que respeita às técnicas de massagem, este curso proporcionou-me uma viagem para dentro de mim. Levou-me a uma jornada de auto-conhecimento e a um trabalho de auto-cura que me elevou a um novo nível de consciência e me permitiu explorar a minha capacidade sensitiva e intuitiva no contacto profundo com o outro através do toque. Foi a descoberta de um dom.

Sinto que cresci muito nestes nove meses e aprendi uma forma prazerosa e amorosa de cuidar do outro através da massagem, do toque, da respiração e da escuta, e ao mesmo tempo descobri uma forma prazerosa e amorosa de cuidar de mim.

Sou uma melhor mulher agora.

Fernando Fernandes

O curso foi muito enriquecedor, transformador, desbloqueador, desafiante e inspirador. Proporcionou-me um elevado número de ferramentas, conhecimentos e experiências que contribuíram para melhorar em muito a minha auto-estima, confiança e segurança a lidar com a mulher e com a arte de dar massagem e de curar.

Saiba tudo na página do curso ou envie email para satigpt@gmail.com.

quinta-feira, 25 de maio de 2017

A Massagem Intuitiva Holística é uma necessidade

Há quem julgue que a massagem é um luxo. Não é! É uma necessidade, que no caso da Massagem Intuitiva Holística, pode evitar muitos problemas e ajudar a resolver outros.

Muitas pessoas pensam que cuidar de si é um luxo a que não se podem dar. No entanto, quando o corpo pára, por acidente ou doença, não têm outro remédio.

Muitas doenças podiam ser evitadas se cada um se cuidasse devidamente, dando-se boa alimentação, exercício físico, meditação e massagem.

A Massagem Intuitiva Holística ajuda a pessoa a equilibrar-se a todos os níveis - físico, energético, emocional e mental. Fazendo-a regularmente os problemas de saúde tendem a ser escassos. Fazendo-a depois deles aparecerem, sejam quais forem, melhorar é muito mais fácil e eficaz do que recorrendo a tratamentos de sintomas sejam estes de que natureza forem.

Perguntam-me muitas vezes: "Mas como é que uma massagem me pode tirar as dores?" Pode! E são muitos os exemplos disso. As dores vão aliviando aos poucos, e em meia dúzia de sessões - mais coisa menos coisa, dependendo da gravidade da situação - a pessoa fica outra. É que ao apoiar de forma global, sobretudo através do corpo, é o próprio organismo que se cura.

E quem fala em dores pode falar em ansiedade, depressão, insónias, confusão, fadiga, distúrbios físicos de qualquer género e o mais que se lembrar, com excepção, de uma maneira geral, de alguns casos muito graves.

Opte por receber regularmente massagens e permita-se viver com mais bem-estar, saúde e alegria.

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Uma óptima forma para viver bem


  • Está angustiado, sem energia, com stress?
  • Dói-lhe o corpo todo ou só partes?
  • Tem uma dor súbita?
  • Dores persistentes?
  • Está apático?
  • Está feliz mas quer estar ainda mais?
  • Tem boa saúde e quer garanti-la?


A melhor recomendação que lhe posso dar é: venha fazer uma massagem.

Maria tem dores recorrentes na anca direita e joelho. Já foi a várias lados. Receitaram-lhe fármacos, medicamentos naturais. As dores mantiveram-se. Quando está a fazer as coisas que mais gosta agodizam-se recomendam-lhe que deixe de fazer essas coisas. Maria deixa e sofre mais, a tristeza aumenta e começa a ter sinais de depressão. Começa também a ter dores de cabeça recorrentes, dificuldade em dormir, falta de concentração. Tudo isso passa a ser tratado com medicamentos e a farmácia pessoal de Maria vai aumentando. E nunca mais pára esta espiral crescente de doenças e decrescente de qualidade de vida, se Maria não tentar perceber e resolver o que está na origem das dores.

Na Massagem Intuitiva Holística vou ao encontro da totalidade da pessoa. Sei que uma dor é muito mais do que isso e que é preciso ajudar a curar o que está na sua origem para as dores desaparecerem. Por isso trato a pessoa como um todo e não sintomas. Faço-o usando técnicas de massagem, nutrição e harmonização energética, mas funcionando também como um espelho e ajudando a pessoa a ter uma melhor perspectiva de si e da sua vida.

Por vezes é necessário conjugar com outras abordagens, como psicologia, coaching, rebirthing, meditação, yoga, etc.

Se a pessoa se quiser curar, tenha o que tiver, passará a ter uma qualidade de vida substancialmente melhor, podendo resolver integralmente o problema ou pelo menos passando a lidar melhor com ele.

Se a intenção for apenas libertar-se das dores, provavelmente, faça o que fizer, terá sempre dores recorrentes aliviadas através de analgésicos de alguma ordem.

O que é que prefere para a sua vida? Se é viver com mais qualidade experimente vir fazer uma Massagem Intuitiva Holística, seja qual for a situação em causa.



terça-feira, 28 de março de 2017

É possível vencer a tristeza e a depressão e ser feliz

Imagem relacionadaMesmo quem parece que já nasceu de costas viradas para o sol, em família complicada e com percurso de vida infeliz, pode vencer a tristeza contínua (ou a depressão, em que esta mais cedo ou mais tarde tende a tornar-se). E, muitas vezes, sem necessidade de comprimidos. Conversa com pessoas apropriadas, mudança de pensamento com a ajuda de métodos adequados (Louise Hay ou Brahma Kumaris, por exemplo), exercício físico, exercícios de relaxamento, meditação e massagens regulares (todas as semanas ou de 15 em 15 dias) e a vida muito rapidamente começa a sorrir.

É esta a minha experiência e a de algumas pessoas que têm vindo ter comigo e que decidiram confiar na minha ajuda. Pessoas com tristeza que parece crónica, depressão, pânico, dores de anos, vêem a sua vida mudar ao decidirem ir ao encontro de si mesmas: ao encontro dos seus pensamentos, sentimentos e emoções; libertar os que não servem e deixar emergir os de alegria, vitalidade, amor, calma, bem-estar. É a substituição da doença pela saúde, um género de substituição da morte pela vida.

Mas é preciso querer. É preciso empenho. Nada se consegue sem esforço.

sábado, 4 de março de 2017

Primavera: sol, flores e cuidados redobrados

A Primavera é altura de renascimento, os dias tornam-se maiores, o sol vai aquecendo, nascem flores por todos os lados, bandos de pássaros divertem-se pelos ares.


Tudo aflora, tudo brota, tudo rebenta. É assim à nossa volta e é assim connosco, que fazemos parte do mundo e não conseguimos ficar alheios ao que se passa: tudo nos influencia. Por isso é normal nesta altura a par com as alegrias virem as grandes tristezas, os desequilíbrios emocionais.

Nós mães sabemos como o parto tem dor. Os pais não sabem na pele, mas assistem. Se nos prepararmos para o parto, ele fica mais controlado, a dor é menor. Assim é com a Primavera: se nos prepararmos para os dias de agitação que aí vêm, os desafios surgirão na mesma, mas bem mais lidáveis.

E como é que nos podemos preparar para os dias de agitação? Há vários métodos, hoje não vou falar deles, venho só lembrar que quem faz massagens regularmente (massagens sérias, profissionais, que vão ao encontro da totalidade da pessoa) assegura uma qualidade de vida muito melhor, previne problemas de saúde e oscilações de humor.

Quem faz Massagem Intuitiva Holística regularmente vive com plenitude, saúde, boa disposição, vitalidade e sempre capaz de fazer face ao que surge.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

“Life is good”

“Oh yes, life is good” repetiu ao virar-se para cima durante a massagem, e com um sorriso beato fechou os olhos e continuou a desfrutar.

Veio ter comigo em francês para lhe resolver um problema no braço. Ora eu não resolvo nada. Acolho com amor o que me é pedido e deixo que as minhas mãos vão fazendo o que acham que é de fazer. Sei que um problema é muito mais do que aparenta e por isso fluo como o coração e as mãos vão dizendo.

Às vezes junto palavras, por vezes um abraço, chego até a cantar. Umas vezes o problema resolve-se logo, a maior parte das vezes ao fim de algumas sessões, outras nunca. Nada é garantido.

No final da primeira massagem, na semana passada, o braço continuou a doer-lhe, embora menos, mas o humor melhorou substancialmente.

Hoje voltou. Percebi que a par com as tensões havia muita falta de afecto, e as minhas mãos foram-lho transmitido. A certa altura disse, “Posso sentir amor no que estás a fazer”. E pouco depois exclamou, “Life is good.”

As minhas massagens são em silêncio, mas palavras destas só dão colorido ao que é feito e satisfação profunda que conduz a um redobrar da atenção e do cuidado.

A certa altura, já virado para cima, enquanto lhe tocava o rosto e a cabeça, perguntou-me: “O que é que está a acontecer?”. “Não sei o que está a acontecer. Não penses nisso, sente. O que está a acontecer é para sentires.” No final disse-me que sabia o que tinha acontecido, aí já na língua mais terna que conheço, a sua língua de origem, o francês, que entre nós as línguas vão fluindo meio aos tropeções: “Não me lembro que alguém me tivesse dado assim amor. Foi isso aconteceu, senti amor.”

Não sei se o braço ficou bom ou se vai ficar, mas o coração, esse saiu daqui bem melhor do que entrou, e um coração amado, um corpo acarinhado e alegria são as melhores medicinas que conheço. Quem as toma arrisca-se a ficar bem seja lá do que for e seguramente toda a sua vida se torna melhor.

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Presente de ano novo

Que 2017 seja um ano bom, cheio de realizações, alegria, saúde, paz-de-espírito e muita capacidade para enfrentar qualquer desafio que surgir.

Para agradecer a confiança que têm tido em mim, escolhendo-me para massagens, Reiki, Iniciações em Reiki Essencial, cursos de massagem ou workshops, e para contribuir para um começo de ano cheio de vitalidade, relaxamento e bem-estar, dou 25% de desconto numa massagem durante o mês de Janeiro a quem já for meu cliente.


  Presente de ano novo  

1 massagem com 25% de desconto durante o mês de Janeiro
para quem já é meu cliente

  Massagem ou Reiki sessão normal (90 a 120 minutos)  
Valor à escolha do cliente entre 35 e 65 euros

  Massagem 60 minutos  
25 euros

Viva 2017! Bom todos os dias para todos nós

Viva 2017. Que todos possamos trilhar o nosso verdadeiro caminho – umas vezes doendo, com certeza, mas muitas mais cheias de sorrisos de satisfação plena, de “é tão bom estar aqui!”, “a minha vida tem sentido! Que bom que é”.

As pessoas bem-sucedidas repetem muitas vezes coisas como “Luta pelos teus sonhos”. E é mesmo isso. Só aquilo que sonhamos, que é o que vem cá de dentro, do fundo do peito, dá sentido à vida e nos pode proporcionar felicidade plena, paz de espírito, “é tão bom estar-aqui”.

O que os outros quiseram ou querem fazer connosco, por mais bem-intencionado que seja – e seguramente é cheio de boas intenções o que os pais querem que os filhos façam – se for contra o que as nossas vísceras, o coração e tudo em nós grita, não é o nosso caminho e segui-lo é ir contra nós próprios, é garantia de infelicidade, ainda que possa trazer uma boa casa e um bom carro (e o pior, parece-me, é que muitas vezes não traz, só traz mesmo infelicidade, frustração e doenças).

Então que tenhamos a coragem de seguir a nossa própria verdade. De a descobrir (fomos tão enganados sobre quem somos, que a maior parte está grandemente às escuras a respeito de si próprio).

O caminho não se faz sozinho. Somos seres interdependentes. Que tenhamos a coragem de nos juntar a quem nos faz bem. Aquelas pessoas que são capazes de ouvir, de serem espelhos e de nos apoiarem ainda que pareçamos loucos, mas que também sejam capazes de dar a sua opinião, se solicitada, sem nos dizerem “faz isto”, “faz aquilo”, “tens que perceber”, nem nos chamarem nomes, ou se chamarem que sejam palavras qualificadores.

E é isto que desejo a todos, todos, todos, todos, a começar por mim para este ano de 2017: Que tenhamos coragem de ser quem somos; que tenhamos força e capacidade de ir à procura da nossa verdade interior e de a trazer à luz, para nós e para o mundo. Que sejamos capazes de harmonizar quem somos com o mundo que nos rodeia, sem nos violentarmos nem violentarmos ninguém. Que possamos ser cada vez mais felizes. Que possamos ser co-criadores da nossa própria vida e de um mundo mais harmonioso onde seja bom e seguro viver. Um mundo onde ninguém queria ser superior a ninguém e onde ninguém seja esquecido. Um mundo onde o respeito por tudo o que existe seja a base de toda a acção.

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Iniciação em Reiki Essencial I, 28 de Janeiro

A Descoberta e o Acordar do Curador Interior

O Reiki é um sistema de cura energética. Usando as palmas das mãos, a pessoa canaliza energia vital para si própria ou para os outros. Devidamente canalizada, esta energia melhora a vida, a saúde, o bem-estar e pode curar doenças.

Quem é iniciado em Reiki passa a poder tratar-se e a tratar ou
tros, mas, além disso, a vida muda. Quando se recebe a primeira iniciação de Reiki tudo parece começar a fluir melhor: a saúde, o bem-estar, os relacionamentos, o trabalho, a vida em geral.

Na minha óptica toda a gente devia ser iniciada em Reiki para poder usufruir de uma vida mais saudável, plena, íntegra e para poder proporcionar bem-estar às outras pessoas, animais, plantas e ao próprio planeta.

Todos nós já temos essa energi
a e já a recebemos do universo, mas através da iniciação em Reiki o fluxo é amplificado e consciencializado.

Data: 28 de Janeiro de 2017, Sábado, das 11h às 19h

Local: Espaço Sati, Carcavelos 
Inclui: Iniciação e acompanhamento posterior, manual, certificado e refeição vegetariana
Inscrições e mais informações: satigpt@gmail.com

Meditação para dormir - audio

A dificuldade em dormir é um problema de muita gente e muitas pessoas habituam-se a fazê-lo através de comprimidos.

Tal deve-se a agitação, actividade mental excessiva, preocupações, pouca actividade física e falta de hábitos de relaxamento.

A Massagem é uma das formas óptimas de ajudar a ultrapassar o stress, equilibrar a pessoa e logo facilitar o sono. Uma outra boa forma é ouvir já na cama, de headphones, por exemplo, uma meditação relaxante.

Fica aqui uma hipótese feita por mim com o objectivo específico de ajudar a adormecer. Siga o link


terça-feira, 6 de setembro de 2016

Desafio: Vamos sentir?!


Há uma tendência global, aprendida, de correr a matar o que se sente.

Dói-me a cabeça tomo comprimido, não durmo tomo comprimido, apetece-me sorrir ao mundo, aperto bem e não deixo sair nem um sorriso, senão ainda me chamam maluca; apetece-me chorar mas não choro que os homens não choram.

A tendência global é para não sentir. Tomam-se comprimidos, bebe-se, come-se, fuma-se, fala-se sem parar para calar o que se sente. Mas como o que se sente existe, ele não vai desistir enquanto não for realmente ouvido. E é aí que surgem as pernas partidas, as depressões, as pedras nos rins, e mais uma infinidade de sintomas até chegar aos mais drásticos de todos, os que não têm volta atrás. Pelo caminho, em tanta busca de não sentir, vai-se sentindo uma grande frustração, que no seu íntimo nos quer dizer que não nos estamos a ouvir, a acolher, abraçar, aceitar e amar.

As dores querem ser ouvidas. Normalmente pedem-nos apenas: dá-te atenção, dá-te colo, descansa, relaxa. Nesses casos se nos damos um passeio, mergulhos no mar, meditação, uma massagem, não só passam as dores como ainda nos sentimos rejuvenescidos, revigorados e mais felizes.

A vontade de chorar quer que as lágrimas saiam de facto, quer que saia a tristeza, a mágoa, a comoção, o quer que seja. Às vezes quer que saia a sós, outras precisa de um colo amigo. Uma vez liberto o choro ficamos mais leves, a sentir-nos em paz, muitas vezes revitalizados, cheios de alegria. Faz parte da vida chorar, está tudo bem com chorar, está tudo muito mal é com o acto de não deixar as lágrimas saírem e dessa forma, criando uma barreira, damos lugar à doença.

A vontade de rir pede gargalhadas; a necessidade de afecto pede abraços, sorrisos, palavras escutadas; a necessidade de prazer pede diversão natural - conversas do coração, gargalhadas, o conhecimento de novos lugar, prazer dos sentidos.

O corpo tem capacidades de auto-cura. Quando a doença surge quer dizer que existe desequilíbrio. O primeiro passo deve ser sempre a procura desse equilíbrio de formas naturais: o passeio, o descanso, a alimentação mais cuidadosa, o exercício físico, a meditação, a massagem. 

É desta forma que nos podemos realizar como pessoas. Tratar sintomas é o mesmo que pôr remendos: dentro de algum tempo já não há ponta por onde se pegue. Tratar sintomas, seja por que método for, é o mesmo que a alimentação através da fastfood.

Está nas mãos de cada um de nós dizer o que quer na sua vida. As desculpas são só obstáculos auto-criados. E os obstáculos, para quem quer viver uma vida plena (e todos temos potencial para isso), servem exclusivamente para ser ultrapassados.


O meu desafio é: Vamos sentir?!

Vai doer? Vai! Mas também vai ser bom como nunca foi e, mais importante que tudo, vamos poder ser nós próprios e não produto de um argumentista muito pouco amigo da vida.

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Esgotado! II Curso de Massagem Intuitiva Holística

Faltam três semanas para começar o II Curso de Massagem Intuitiva Holística e já está esgotado.


O desejo de aprender a cuidar dos outros com sabedoria, elevação e amor, sabendo que cada um é um ser global e complexo e, por outro lado, cuidar expressando a própria sabedoria e criatividade, são os motivos mais invocados para a procura deste curso.

Um curso que procura despertar a sensibilidade, sabedoria e intuição dos cuidadores, com vista ao tratamento mais adequado a quem recebe.

Há muito que sinto a necessidade de levar às instituições de saúde tradicionais esta sabedoria. Todos nós sabemos como é por vezes violenta a forma como somos tratados pelos profissionais de saúde, por puro alheamento (algumas vezes desconhecimento) do que é o ser humano. Não sendo a minha formação tradicional, tal tem-se revelado impossível. Pois começam a ser os profissionais de saúde a procurarem este conhecimento. Já há muito tempo que tenho médicos, enfermeiros, psicólogos, farmacêuticos entre os meus clientes de massagem, agora começam também eles a procurar a formação com vista a enriquecerem os serviços que prestam.

Cada vez mais formas alternativas de expressão estão a ser reconhecidas e usadas nos meios tradicionais. Está a chegar também a vez do "toque que cura": um toque respeitador de quem é tocado, um toque amoroso, que não é imposto, que não invade, não violenta. Um toque que só ele é já meia cura - ou, quantas vezes, a cura completa.